sexta-feira, agosto 05, 2016

0

Catedral de Santo Estêvão (Stephansdom), Viena, Áustria

A Catedral de Santo Estêvão, o famoso monumento de Viena de Áustria, esconde mais segredos do que aparenta. Por exemplo: sabia que, segundo as histórias mais antigas, o homem encarregue da construção da Torre Norte quebrou um pacto com o Diabo, teve como paga uma queda fatal e que é por esse motivo que a torre ficou eternamente inacabada? Provavelmente não. E sabia que o emblemático Pummerin, o maior e mais pesado sino da Áustria, com 21 toneladas, foi fundido a partir dos canhões dos Turcos, quando estes abandonaram Viena? Pelos vistos, uma visita vale sempre a pena e é sempre altura de descobrir algo novo…

A versão mais antiga da Catedral de Santo Estêvão era românica e remonta ao século XIII, mas dela não restam mais do que o Pórtico dos Gigantes e as Torres dos Pagãos. A vasta maioria dos seus elementos, entre eles a nave, a capela-mor e as capelas laterais, surgiram apenas durante a reconstrução gótica dos séculos XIV e XV e há até alguns, como a Sacristia Inferior, tão recentes como o período barroco.

No ano de 1945, em plena guerra, a catedral vienense sofreu um bombardeamento do qual foi muito difícil recuperar. Grande parte do monumento ficou destruída, incluindo o seu telhado de 250 mil ladrilhos, que, felizmente, foi restaurado com sucesso nos anos seguintes.

Existem variadíssimas atracções na Catedral de Santo Estevão. Para os aficionados por história, o mais interessante será, sem dúvida, observar a cripta que, debaixo do altar-mor, guarda os restos mortais de alguns dos mais importantes Habsburgos. Mas, para quem prefere desfrutar de umas vistas panorâmicas sobre a cidade de Viena, o melhor será dirigir-se ao Pavilhão Sexton e subir a uma plataforma localizada na Steffl, a conhecida agulha gótica de 137 metros.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...