quinta-feira, agosto 07, 2014

0

Abadia de Melk, Áustria


É difícil dizer o que Melk e a sua abadia têm de melhor: se a sua história de resistência, se os seus frescos e pinturas de incalculável valor artístico, se as maravilhosas vistas do Danúbio e da zona envolvente. A Abadia de Melk, um dos mais famosos e importantes monumentos barrocos de toda a Áustria, é um desmedido edifício de tons dourados que se eleva numa escarpa sobre o rio, a cerca de 60 km de Viena.

As origens da abadia remontam ao século XI, altura em que Melk era sede e se encontrava sob o domínio da Casa de Babenberg, a família nobre que antecedeu os Habsburgos. Leopoldo II, a ela pertencente, decidiu chamar a Melk os Beneditinos de Lambach e oferecer-lhes diversas terras e o castelo onde residia, que estes não tardaram a converter numa abadia fortificada.

Uma heroína da arquitectura

A história da Abadia de Melk está carregada de atentados à sua integridade, como, por exemplo, um desastroso incêndio em 1297 e uma tentativa de invasão turca no século XVI. Felizmente, e apesar das muitas reconstruções de que teve de ser objecto, o monumento continuou a existir ao longo dos séculos, ostentando sempre uma rara beleza e riqueza artística.

A mais relevante remodelação da Abadia de Melk teve lugar a partir de 1702, sob a direcção do abade Berthold Dietmayr. Com uma orientação essencialmente barroca, o projecto contou com a participação de Jakob Prandtauer, von Erlach, Joseph Munggenast e de outros artistas influentes da época e outorgou à abadia o aspecto que é, hoje, tão familiar aos austríacos.

Entre os ex-líbris da abadia destacam-se: a Stiftskirche, bela igreja barroca que exibe esculturas dos seus santos padroeiros, S. Pedro e S. Paulo; a biblioteca, com um espólio de cerca de 100 mil volumes e um incrível fresco de Paul Troger; e os famosos Crucifixos de Melk, um românico e outro datado do século XIV.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...