sexta-feira, abril 04, 2014

0

A Praça do Mercado da Cidade Velha de Varsóvia, Polónia

De um lado, um político activista com queda para a literatura; do outro, um ávido defensor dos direitos dos cidadãos. Em frente, um célebre comerciante determinado a elevar a categoria da burguesia. E, atrás, um presidente que assiste à revolta do seu povo. Respectivamente, Kollataj, Barss, Dekert e Zakrzewski foram – graças à sua reconhecida contribuição e importância para a história polaca – as personalidades do século XVIII seleccionadas para dar nome a cada um dos flancos da Praça do Mercado da Cidade Velha de Varsóvia.

Em pleno coração do distrito histórico, a Praça do Mercado viu a sua construção terminada no ano de 1400 e foi, até inícios do século XIX, o grande centro político, administrativo, comercial e cultural da cidade de Varsóvia. Durante o século XVII, os comerciantes mais abastados deram também o seu toque pessoal ao local, dotando-o de novos edifícios e/ou renovando os existentes. A cada dia, a praça vibrava com feiras e festividades municipais e, em alguns (felizmente raros) momentos históricos, chegou a ser palco de execuções.
A Praça do Mercado foi arrasada no decorrer da Segunda Guerra Mundial, mas foi integralmente reconstruída em 1953, com profundo respeito pelas suas características renascentistas originais. Actualmente, a praça é um dos maiores pontos de interesse turístico em Varsóvia e está repleta de esplanadas, de artistas em actividade e de coches (dorozkas) com cavalos prontos a conduzir os turistas num fascinante passeio pela Cidade Velha.

A lenda da sereia

Bem no centro da praça encontramos a estátua da sereia de Varsóvia, um verdadeiro símbolo da cidade. O monumento nem sempre ali esteve, tendo sido transferido somente no ano 2000, mas a vasta maioria das pessoas considera ser esta a sua localização ideal: que melhor lugar do que a Praça do Mercado, tão fundamental na evolução histórica e política de Varsóvia, para acolher uma figura que está intimamente ligada à fundação da cidade?
A primeira versão da história é a de que uma sereia chamada Sawa, ao ser alvo de uma tentativa de captura, foi salva por um homem chamado Wars, comprometendo-se a proteger a sua cidade como forma de agradecimento. A espada e o escudo que a sereia-estátua enverga corroboram-na, assim como o nome da cidade, que acabaria por ser uma junção dos dois: Warsawa (Varsóvia). Mas existe uma segunda, baseada na chegada de um príncipe a uma pequena aldeia que lhe fora indicada por uma sereia. Lá, conhece uma mulher com dois filhos, que lhe dá guarida e oferece as refeições. Chamando às crianças Wars e Sawa, o príncipe doa à família uma porção de terra que acabaria por estar na origem da capital polaca. Nessa altura, a sereia emerge supostamente da água para a abençoar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...