segunda-feira, fevereiro 03, 2014

0

Delta do Okavango


O rio Okavango e o seu Delta constituem, no seu conjunto, um exemplo perfeito de um ciclo complexo de cheias que alimenta e suporta os sistemas ecológicos e sociais na região da África Austral. Em termos da contribuição para os caudais médios anuais que alimentam o sistema da bacia do Okavango, existem diferenças substanciais entre os três países, sendo Angola o país que, de longe, contribui mais para o caudal do rio. A Bacia é o local de origem de uma população de cerca de 600 000 habitantes e tem só três centros urbanos de importância: Menongue em Angola, Rundu na Namíbia e Maun no Botswana.



A bacia do rio Okavango cobre uma superfície hidrologicamente activa com cerca de 323 192 km2, compartilhada por três países da África Austral: Angola, Namíbia e Botswana. O Rio Okavango é o quarto rio mais longo da África Austral, com um curso de 1.100 km desde o centro de Angola, onde é designado por Kubango, através da Namíbia até ao Kalahari no Botswana. O rio tem a sua origem a montante de dois tributários, o Cuito e o Cubango, nos planaltos do interior Angolano a uma altura de 1780 metros. O seu caudal principal resulta do escoamento de planícies sub-húmidas e semi-áridas da província de Cuito-Cubango, em Angola, numa área de 120 000 km², antes de concentrar o seu caudal ao longo das margens entre Namíbia e Angola, desaguando num leque ou delta a uma altura de 980 metros. Vários rios confluem num único rio, cujas águas correm para o sul e oriente, ramificando-se novamente  quando desagua no Delta do Okavango, onde termina, numa das maiores concentrações de água doce do interior no planeta. O rio lança, por ano, cerca de 10 quilómetros cúbicos de caudal superficial no sistema do Delta por ano. Os limites geológicos na margem do delta determinam a corrente eventual da água para um conjunto de salinas por evaporação (pans) noDeserto do Kalahari. A Bacia do Okavango podia também ser delineada para incluir uma área substancial de rios fósseis que não estão hidrologicamente activos mas que fazem parte da bacia topográfica.


As águas do Okavango são límpidas e contêm poucos químicos diluídos, solutos e poluentes. O cenário natural das orlas ribeirinhas ao longo dos muitos cursos de água permanece relativamente inalterado com a vida vegetal e aquática a manter-se saudável. O rio suporta as populações, os seus animais e uma miríade de modos de subsistência que vão desde a pesca artesanal à agricultura em pequena escala. O Delta do Okavango, um ecossistema único mas frágil, é uma fonte significativa de receitas e de valor cultural para a população do Botswana.

Fonte: OKACOM: A Comissão Permanente das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Okavango
Fotografias: Shutterstock

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...