quarta-feira, agosto 07, 2013

0

Machu Picchu, Peru: em busca da fortuna inca, Bingham achou um tesouro cultural

“Would anyone believe what I have found?”
- Excerto do diário de Hiram Bingham

Foi o relato de um camponês acerca de uma cidade submersa na floresta que conduziu Hiram Bingham e toda uma equipa de Yale à descoberta das suas vidas, a 24 de Julho de 1911. Por lá haviam passado já outros exploradores – como comprova a inscrição na base do Templo do Sol, produzida pelos irmãos Santander em 1909 –, mas foi o norte-americano que deu a conhecer ao mundo a singularidade e o esplendor de Machu Picchu, a Cidade Perdida dos Incas.

Na altura, julgou-se estar resolvido o mito de Paititi (ou Vilcabamba), cidade onde a comunidade inca se refugiou e escondeu valiosas peças em ouro após as derrotas de Cusco e Ollantaytambo. O facto de não se ter encontrado lá qualquer tesouro pouco importou, porque, para o justificar, corria o rumor de que Bingham se tinha apoderado dele antes de tornar público o seu achado. Hoje, porém, afirma-se com toda a certeza que não se trata do mesmo local.

A riqueza de Machu Picchu reside, por outro lado, nos claros e admiráveis vestígios da cultura inca, bem como da funcionalidade e do respeito pela natureza que a caracterizaram. Com efeito, estas construções não entram de modo algum em conflito com o meio: parecem até fazer parte dele e ter sido esculpidas naturalmente nas escarpas da montanha. Também o confronto entre a escassa tecnologia disponível naquela época e a magnitude de Machu Picchu leva os especialistas a considerarem-no a obra-prima arquitectónica do império inca.
Machu Picchu situa-se a 2450 metros de altitude, no topo de uma montanha com precisamente o mesmo nome, que significa “montanha velha”. Directamente à sua frente, ergue-se uma outra de menores dimensões, comummente apelidada Huayna Picchu ou “montanha jovem”. Apesar de a sua finalidade original ser um pouco dúbia e permanecer em discussão, Machu Picchu está claramente dividido em dois sectores: o Agrícola, que é testemunho de um povo especialista na produção de milho, batata, arroz e legumes, e o Urbano, com uma profusão de templos, palácios, praças, portas trapezoidais, fontes, banhos, túmulos e torres.
Destes monumentos, o mais emblemático é provavelmente Intihuatana, que, na língua quéchua, quer dizer “lugar onde o sol se põe”. É formado por um pequeno prisma no topo de uma pilastra de pedra, que, ao gerar uma sombra, funcionava como calendário solar e orientava o povo inca no que respeita à mudança das estações do ano e aos solstícios.

Intihuatana

Machu Picchu tornou-se um destino turístico de eleição logo após a sua (re)descoberta e ainda não deixou de o ser. Os títulos contribuem sem dúvida para o prestígio: além de um dos lugares mais visitados de todo o mundo, a cidade inca é Património da Humanidade da UNESCO e uma das sete maravilhas do mundo moderno.

Sabia que…

… Hiram Bingham é muitas vezes mencionado como tendo sido a inspiração para a personagem fictícia de Indiana Jones?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...