domingo, junho 30, 2013

0

Ponte dos Suspiros (Ponte dei Sospiri), Veneza, Itália

 
Ao contrário do que se possa à partida pensar, a famosa Ponte dos Suspiros de Veneza não deve o seu nome a amores não correspondidos ou proibidos. A história mais contada, embora seja fruto da literatura romântica, é tudo menos isso.

Construída no início do século XVII, entre 1600 e 1602, a ponte servia de ligação entre o Palácio dos Doges, com salas de interrogatório e as denominadas velhas prisões, e as novas prisões, ou Prigioni. E, ao serem levados para as respectivas celas (ou, então, para o local da sua execução), os reclusos soltavam um suspiro ao olhar uma última vez para a paisagem de Veneza e o mundo exterior, através das minúsculas janelas da ponte.

sábado, junho 29, 2013

0

Castelo Real e Catedral de Wawel, Cracóvia, Polónia


Quando se faz uma viagem à Polónia, parece imprescindível ir visitar Cracóvia – antiga capital e sede dos reis polacos. E também a cidade onde estudou o papa João Paulo II.

Para quem que se interessa por história, um ponto de visita obrigatório é o Castelo Real situado no Monte Wawel. Antigamente, existia na colina de Wawel uma fortificação em madeira que, já no seculo XIV, foi completamente substituída por outra em pedra. Durante a história, o castelo foi muitas vezes remodelado e reconstruído em vários estilos arquitectónicos. Em 1596, o castelo de Wawel foi parcialmente queimado, o que obrigou o rei polaco Sigismundo II Vasa a mudar a capital de Cracóvia para Varsóvia. Este evento provocou uma lenta deterioração do Castelo Real. Os reis polacos dos séculos XVII e XVIII tentaram renovar o castelo, mas com pouco sucesso.
0

Grutas de Postojna, Eslovénia: uma herança insubstituível com 70 milhões de anos

Pioneira nos fenómenos cársicos, a Eslovénia é rica em cavernas de incrível profundidade, rios subterrâneos e lagos intermitentes. Mas nenhum deles é tão impressionante como as Grutas de Postojna, cerca de 50 quilómetros a sul de Ljubljana. Nelas, estalactites e estalagmites fundem-se para formar colunas de diversas cores e feitios, que o vão fazer sentir pequenino de tão colossais que se conseguem tornar.
Esse crescimento é, no entanto, extremamente lento. Especialistas apuraram que as estalactites e as estalagmites de Postojna aumentam o seu tamanho no máximo em 1 mm, no período de dez anos. Daí que estas grutas sejam o local de maior valor e mais protegido de toda a zona do Carso. Afinal, as colunas mais belas começaram a formar-se há oito mil, 40 mil ou até mesmo 100 mil anos e, uma vez danificadas, seria impossível recuperá-las.

sexta-feira, junho 28, 2013

0

Templos Eróticos da Dinastia Chandela, Khajuraho, Índia

Se Khajuraho não fosse uma cidade pequena, isolada, perdida no centro da Índia, provavelmente hoje não teríamos a possibilidade de contemplar 22 templos edificados pela dinastia Chandela, de arquitectura grandiosa e escultura dedicada aos prazeres da vida… sobretudo os carnais.
Originalmente, eles eram 85, construídos entre os séculos X e XI. Porém, Khajuraho não passou suficientemente despercebida para escapar ao poderio mongol, ao qual se atribui a destruição da grande maioria dos templos. Outros, simplesmente não resistiram ao tempo.

quinta-feira, junho 27, 2013

0

Porto e Vale do Douro: a grande sugestão da Lonely Planet para 2013

Porto, Portugal

Vale do Douro, Portugal
A grande maioria das pessoas, quando questionada acerca do seu maior sonho, tem a resposta na ponta da língua: conhecer o mundo. Mas o que acontece muitas vezes é que essa sede de novos ambientes, novas culturas e novas sensações as faz esquecer ou simplesmente desconhecer o que as rodeia ou está à distância de uma curta viagem de automóvel. E assim se perdem locais tão ou mais belos e interessantes do que os de lá de fora.

Esta terça-feira, a Lonely Planet, líder mundial na edição de guias de viagem, elegeu o Porto e o Vale do Douro como o melhor destino europeu para 2013. E a competição era forte, porque, se repararmos, do top 10 da editora fazem também parte a cada vez mais popular Croácia, o exótico norte da Islândia e uma das Capitais Europeias da Cultura 2013, Marselha. As vantagens que um título como este traz para o sector do turismo são claras e incontestáveis, mas há mais formas de o interpretar. Podemos, por exemplo, vê-lo como um convite aos próprios portugueses.

terça-feira, junho 25, 2013

0

O que é um Stopover?


Quando começamos a viajar de avião, mal sabemos o que é um check-in, escala ou ligação. E as palavras complicadas não param por aí... os voos em codeshare, upgrade de classe, as milhas, etc, etc.
Acontece porém que, por trás dessas denominações que parecem um bicho-de-sete-cabeças, podem estar possibilidades que podem melhorar em muito a sua viagem. Uma delas é o stopover, também conhecida como "ligação com pernoite".

Na mais curta das definições, stopover é uma paragem entre um segmento e outro de uma viagem. Isso na realidade quer dizer que se o nosso voo que sai da cidade “Y” com destino a uma cidade “X” e passa (ou faz conexão) por uma cidade “Z”, podemos optar por fazer um paragem neste local “Z”, sem necessariamente ser apenas aquela troca chata de avião ou a escala previamente agendada pela companhia aérea.

Há viajantes que entre destinos aproveitam para conhecer umas quantas cidades! Uma ótima ideia, não acham?

Já fez um stopover? Conte-nos tudo!:)

segunda-feira, junho 24, 2013

0

Loch Ness (Lago Ness), Escócia: casa de Nessie, o eterno enigma

 
A lenda em si é do tempo da Idade Média. Conta-se que, no ano de 565, o missionário irlandês São Columbano se converteu no herói que salvou um habitante local de uma “besta aquática” no Lago Ness. Mas foi no século XX que o mito se começou a misturar com a realidade e a incerteza se instalou. Afinal, existe ou não um “monstro do Loch Ness”?

domingo, junho 23, 2013

5

Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, Croácia


Se está inclinado para o destino da moda, a Croácia, não procure o que ver só na capital. Afinal, as paisagens mais arrebatadoras do país estão a pouco mais de cem quilómetros de distância. O Parque Nacional dos Lagos, em Plitvice, é um misto de lagoas, vales escarpados, cascatas e grutas harmoniosamente conjugados pela mão da natureza. Oficialmente fundado em 1949, o parque vem todavia sendo formado desde há milhares de anos.

sábado, junho 22, 2013

0

Aarti, Varanasi, Índia: quando os efeitos de som e luz tomam conta do Ganges

Todos os fins de tarde, sem falta, as margens do rio Ganges enchem-se de luz, música e crentes determinados a libertarem-se dos seus pecados. São palco da vistosa cerimónia hindu Aarti, um espectáculo de fogo em honra da deusa Ganga, o próprio rio

terça-feira, junho 18, 2013

0

Distrito Art Déco, Miami, Estados Unidos: um passeio pelo requinte dos anos 20

Não são só os apaixonados por praia e pela noite que se podem divertir em Miami; os amantes da arte e da arquitectura também. Se visitar a cidade, não se esqueça de percorrer o impressionante Distrito Art Déco, com hotéis que escondem museus no seu interior, mansões onde se dão festas tão glamourosas quanto exclusivas, parques, restaurantes e carros que parecem saídos dos anos 30. São ao todo 800 edifícios de curvas acentuadas e decoração viva que formam um conjunto tão colorido como uma caixa de guloseimas.

domingo, junho 16, 2013

0

New York, New York! - 33 Fotos, para que fique cheio de vontade de partir!

Mais vibrante do que nunca, Nova Iorque está de volta. Recuperada do 11 de Setembro, aceitou a sua vulnerabilidade, mas não parou e continua frenética, a abraçar o mundo, reinventando-se a cada segundo.

Deixamos-lhe aqui 33 fotografias, para que sinta ainda mais vontade de (re)visitar!

Um autocarro escolar desativado faz parte da decoração urbana em Nova York

A famosa Bedford, em Brooklyn, é a mais larga avenida do bairro e reúne diferentes e charmosos cafés.

sábado, junho 15, 2013

0

Bharat Mata Mandir, Varanasi, Índia


“I am confident that this temple will serve as a common cultural platform for people from different faiths and sects, including the Harijans, and promote the cause of tolerance, unity, sense of cohesiveness, social integrity and love among the various groups. To inaugurate this temple of a great tirtha, I feel deeply overwhelmed and unable to express my feeling through words.”
Mahatma Gandhi na inauguração do templo Bharat Mata de Varanasi, em 1936

Um dos pontos mais interessantes da capital cultural da Índia, Varanasi, é Bharat Mata Mandir, um monumento ao nacionalismo, à secularização e, por incrível que pareça, à cartografia. Não o confunda com o templo Bharat Mata de oito andares, em Haridwar. Embora partilhem o mesmo nome e os seus fundadores o mesmo apelido – o de Haridwar foi inaugurado por Indira Gandhi, em 1983 –, a essência dos dois templos é bem distinta.

sexta-feira, junho 14, 2013

1

Kiev-Pechersk Lavra (Mosteiro das Grutas), Ucrânia


Apesar de as suas origens serem muito mais remotas, foi em 1688 que Kiev-Pechersk conquistou o título de “Lavra”, a mais nobre distinção que um mosteiro masculino ortodoxo pode alguma vez receber. Se tal se ficou a dever ao facto de ser um dos principais centros de religião e cultura do leste europeu ou à exímia arquitectura dos seus mais de 140 edifícios, ninguém arrisca dizer com plena certeza. Mas o verdadeiro encanto deste mosteiro é-nos revelado pela primeira parte do seu nome: “pechera” significa “caverna” e remete para a infinidade de túneis, salões e igrejas subterrâneas que, com monges mumificados em cada esquina, atraem mais crentes, peregrinos e turistas do que a porção do mosteiro que está realmente à vista de todos.

segunda-feira, junho 10, 2013

0

Hanging Gardens, Bombaim, Índia

 
Não são a maravilha babilónica do mundo antigo, ainda que partilhem o mesmo nome e, muito provavelmente, a mesma beleza. Com as suas flores de mil cores, os seus arbustos em forma de animais, o sapato gigante que faz as delícias das crianças e a vista soberba sobre o Mar Arábico, os Hanging Gardens (em português, Jardins Suspensos) são o refúgio predilecto dos habitantes de Bombaim, que para lá vão relaxar, passear com a família e fugir do frenesim da cidade. Mas o mais certo, nestes casos, é preferirem esquecer o motivo da projecção destes jardins…
Os Hanging Gardens existem desde 1880 e devem o seu nome ao facto de se situarem no declive do monte Malabar, que dá a sensação de estarem pendurados. São também, contudo, conhecidos como Pherozeshah Mehta Gardens, em honra do mais famoso advogado da época, que deu início à sua construção. Os jardins seriam alvo de renovação no ano de 1921.
O que nem todos sabem é que os Hanging Gardens foram dispostos sobre um vasto reservatório de água que abastecia e abastece as povoações das redondezas com água fresca e potável e que, nesse mesmo monte, estão alojadas as chamadas torres do silêncio da comunidade parsi. Pois as duas situações estão relacionadas. Seguidores da religião zoroastra, os parsis acreditam que, após a morte, o modo mais correcto de lidar com os corpos é deixá-los ao ar livre, a decomporem-se gradualmente por acção do ar e dos outros elementos ou a serem devorados por abutres e demais pássaros necrófagos. É nas torres do silêncio que os parsis depositam os cadáveres e os Hanging Gardens foram idealizados precisamente para impedir que o reservatório de água pré-existente fosse de alguma forma contaminado por causa destas práticas.
Independentemente das suas origens, os Hanging Gardens são o mais antigo e famoso parque da cidade de Bombaim, que a esmagadora maioria dos turistas não resiste a visitar.

domingo, junho 09, 2013

0

Cidade Velha, Ilha de Santiago, Cabo Verde: de Centro do Mundo a Memória Colonial

 
Para a Cidade Velha, é mais conveniente ser recordada como Ribeira Grande, a próspera capital cabo-verdiana, ponto de paragem de grandes navegadores, terceiro vértice do comércio atlântico triangular, para a qual o tráfico de escravos trazia uma riqueza inimaginável. Ela é a prova viva de como uma cidade pode passar da glória à decadência e cair no esquecimento geral em poucos séculos. Mas a Cidade Velha está a recuperar terreno e tornou-se em anos recentes num destino turístico de eleição, especialmente depois de ter ganho o estatuto de Património da Humanidade e um lugar na lista das sete maravilhas de origem portuguesa no mundo.
0

Colina das Cruzes (Kryziu Kalnas), Lituânia

Tente imaginar milhares de cruzes de diferentes tamanhos e feitios. Agora, imagine essas cruzes cobertas de outras tantas, mais pequenas, de terços, rodeadas por estátuas e pinturas de santos a perder de conta. É assim a colina de Jurgaiciai, mais conhecida por Colina das Cruzes, cerca de dez quilómetros a norte de Siauliai, Lituânia. Um amontoado desorganizado de objectos de cariz religioso, mas com profundo significado político, que se transformou num dos principais locais de peregrinação cristã do Centro da Europa e atrai crentes dos quatro cantos do país.

sexta-feira, junho 07, 2013

1

Forte Português, Diu, Índia


Na costa oriental de Diu, voltado para o Mar Arábico, ergue-se o mais extraordinário dos fortes construídos pelos portugueses na Índia – se é que é lícito dizer que um monumento que toma praticamente conta de uma pequena ilha de 39 km2 se localiza na “costa”. A Fortaleza de Diu foi uma realização de tal ordem no século XVI que a ilhota ficaria conhecida como o “Gibraltar do Oriente”. Já hoje, ela é considerada uma das sete maravilhas de origem portuguesa no mundo e constitui um dos pontos mais importantes de uma passagem pela Índia.

A construção do Forte Português de Diu teve início em 1535, na sequência de uma aliança entre o sultão de Gujarat, Bahadur Shah, e os portugueses, empenhados em proteger aquele território das investidas do imperador mongol Humayun. A fortaleza é testemunho daquele que acabaria por ser, de acordo com a maioria das opiniões, o mais longo período de controlo colonial sobre uma região. Os portugueses estiveram em Diu 424 anos, entre 1537 e 1961, ou seja, mesmo após a Índia ter conquistado a sua independência em 1947. Só com a Operação Vijay, protagonizada pelo exército indiano, é que os portugueses foram expulsos de Diu e a ilha se tornou mais uma zona administrada centralmente pela União.

O forte não foi imune à violência da Operação Vijay e o que lá encontramos, actualmente, são as suas ruínas convertidas numa prisão e num museu. No entanto, há pormenores que petrificam de tão intactos que permanecem: os canhões, por exemplo, têm exactamente a mesma disposição de outrora e encontram-se num estado de conservação surpreendente. Mas o que mais atrai as máquinas fotográficas é a magnífica vista do pôr-do-sol e do Fortim do Mar (uma ilha fortificada também conhecida como Fortim de Panikota) que se tem do topo da fortaleza.

quarta-feira, junho 05, 2013

0

Túmulo de Humayun, nova Deli, Índia: a inspiração da maravilha do mundo moderno

Se o Taj Mahal é uma prova de amor, o mesmo podemos dizer do Túmulo de Humayun, situado na área de Nizamuddin East, nova Deli. Este monumento foi mandado construir pela dedicada viúva do segundo imperador mongol da Índia, Humayun, em 1569, 14 anos depois da sua morte. Mas esta não é a única semelhança com o Taj. A grandiosidade, a simetria e o carácter inovador do Túmulo de Humayun foram o que esteve na base daquela que viria a ser considerada a obra-prima da arquitectura Mughal da Índia e uma das sete maravilhas do mundo moderno.

domingo, junho 02, 2013

0

Telhado de Ouro, Innsbruck, Áustria: o que ainda não sabia


Quem já visitou Innsbruck conhece; quem não, muito provavelmente já ouviu falar. O Telhado de Ouro, localizado no início da rua Herzog-Friedrich, em pleno centro histórico, é o grande símbolo desta cidade austríaca. As suas 2.657 telhas de cobre com cobertura em ouro atraem as atenções e, ainda que qualquer turista ali pare para fotografar o monumento, são poucos aqueles que realmente sabem a história e todas as curiosidades por detrás dele.
0

Qutub Minar (em Português, Torre Qutub), Nova Deli, Índia

O Qutub Minar (em português, Torre Qutub) é o minarete isolado mais alto da Índia e um dos maiores em todo o mundo. Do alto dos seus 72,5 metros, o muezim costumava chamar os crentes para os vários momentos de reza diários. Ou seria esta uma construção para celebrar a derrota do último reino hindu de Deli, entregue aos muçulmanos em 1193? Ninguém sabe ao certo, mas a verdade é que o Qutub Minar sempre teve um encanto próprio e é hoje um dos monumentos mais importantes do país. Nenhum turista o perde... nem que esteja só a passar ao longe.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...