domingo, abril 28, 2013

0

Frases sobre viagens #13#

Um conselho PLV para uma vida longa e feliz!

Coma bem, viaje com frequência

[ Imagem: Shutterstock - Copyright: ollyy ]

sexta-feira, abril 26, 2013

1

Castelo Swallow's Nest, Ucrânia


Swallow's Nest é um castelo construído em Yalta, península da Criméia, Ucrânia, com vista para o Mar Negro. 
Construído entre 1911-1912 pelo arquiteto russo Leonid Sherwood, a uma altura de 40-metros (130 pés), dentro de uma concepção neo-gótica, sendo uma das atrações mais espetaculares para os visitantes da Criméia (Ucrânia). 
 O mar é uma atração única e pode ser visto com toda sua exuberância a partir do interior deste magnifico castelo. 
Desde 1975, um restaurante italiano tem operado dentro do castelo Swallow's Nest, inclusive já foi destaque em vários filmes "soviéticos".

quinta-feira, abril 25, 2013

0

Templo Gurudwara Bangla Sahib, Índia

Construído em 1783 por Sardar Baghel Singh, importante general Sikh, o templo Gurudwara Bangla Sahib viria a tornar-se um dos principais locais de culto desta religião monoteísta. As suas imponentes cúpulas bulbosas, de um tom dourado fortíssimo, não passam despercebidas a nenhum transeunte de Nova Deli.
Neste local erguia-se outrora a residência de Raja Jai Singh, um imperador indiano do século XVII que, para avaliar as capacidades e as intenções do oitavo guru Sikh, por muitos postas em causa, o convidou a viver consigo durante alguns meses. A bondade de Harkishan ficou, então, mais do que comprovada: o guru dedicou esse tempo aos pobres e doentes, distribuindo comida, roupas e medicamentos, que fizeram especial diferença numa época em que a cólera e a varíola proliferavam a grande velocidade.
Atrás do templo existe um reservatório de água rodeado por uma enorme colunata e construído inteiramente por voluntários. Ainda hoje, aquela água é encarada como um néctar passível de curar doenças e males de espírito. Os crentes que ali se deslocam levam-na consigo para casa, a fim de recuperarem a sua vitalidade.

domingo, abril 14, 2013

0

Catedral de Sal, Zipaquirá, Colômbia

Catedral de Sal, Zipaquirá, Colômbia
Debaixo de uma montanha salina em Zipaquirá, a aproximadamente 60 quilómetros de Bogotá, esconde-se aquela que foi considerada, em 2007, a Primeira Maravilha da Colômbia. Falamos de uma catedral de três naves e catorze capelas menores, única no mundo por ter sido inteiramente escavada numa mina de sal, a quase 200 metros de profundidade. Desde a inauguração, em 1995, a Catedral de Sal tornou-se um dos destinos predilectos dos turistas da Colômbia e de peregrinos católicos de todas as origens.

sábado, abril 13, 2013

0

Mosteiro de Rila, Bulgária: um monumento firme na defesa da identidade nacional

Mosteiro de Rila, Bulgária

O Mosteiro de Rila, um complexo de 8800 m2 a 1147 metros de altitude, orgulha-se de ser o mais antigo do universo eslavo e o maior da Bulgária ainda em actividade. A sua origem remonta ao século X, mas, em consequência de uma história conturbada, a esmagadora maioria dos edifícios é do século XIX e o mosteiro ergue-se como o mais belo exemplo do Renascimento búlgaro e da luta de um povo pela manutenção da sua identidade num longo período de ocupação.

quarta-feira, abril 10, 2013

0

As Casas de Gaudí I - Casa Batlló

Não sabemos se é o alegre e colorido revestimento em trencadís, as varandas com o formato de máscaras carnavalescas ou as chaminés que desafiam qualquer imaginação o que mais cativa na Casa Batlló, em Barcelona. Mas uma coisa é certa: todos os dias pára no Passeig de Gràcia um sem-fim de turistas para ver esta e mais uma mão cheia de maravilhas.
A Casa Batlló forma, juntamente com a Casa Lleó Morera, de Lluís Domènech i Montaner, e a Casa Amatler, de Puig i Cadafalch, a Illa (ou Manzana) de la Discòrdia. O nome resulta de um trocadilho baseado na mitologia. “Manzana” significa simultaneamente “maçã” e “quarteirão” e “Manzana de la Discòrdia” é, para além de uma referência à maçã de ouro que Páris foi acusado de oferecer a Afrodite em troca da mulher mais bela do mundo, um reflexo da disparidade de opiniões quanto à melhor destas casas ou dos arquitectos modernistas por detrás delas.
Para alguns, Gaudí ter-se-á inspirado na lenda de S. Jorge, que venceu um dragão, para construir a Casa Batlló. E essa teoria é corroborada pelo cimo da fachada do edifício, que, alto, curvado e coberto de mosaicos das mais diversas cores, em muito se assemelha às costas de um réptil. À sua frente, ergue-se uma cruz de cerâmica danificada, mas não por efeito do tempo ou das condições meteorológicas. A verdade é que já estava naquele estado antes de ali chegar, devido a qualquer descuido no seu transporte desde Maiorca. Mas a Gaudí agradou ainda mais assim.

A imagem de marca de Gaudí – chaminés arrancadas do seu posicionamento e uso tradicionais e decoradas com extrema originalidade – atingiu o auge na Casa Batlló. E também as colunas nas janelas do primeiro andar são uma característica interessante e conhecida da obra, que lhe valeu a fama de “casa dos ossos”. Isto porque têm a forma de… uma tíbia.

Se a Casa Batlló é considerada vanguardista nos dias de hoje, imagine como o terá sido quando foi construída, em 1906. Não é de admirar que faça parte da lista de Património da Humanidade da UNESCO.

domingo, abril 07, 2013

0

Catedral de Colónia (Kölner Dom), Alemanha: onde o espírito dos Reis Magos persiste


Ao longo dos quase 800 anos de história, a Catedral de Colónia enfrentou provações tão diversas como o advento do Renascimento, as invasões napoleónicas e duas guerras mundiais. E, apesar de ter sido vítima de um desinteresse profundo por quatro séculos, é hoje o monumento gótico mais famoso de toda a Alemanha, reconhecido pela UNESCO. Tem uma tremenda área de 6900 m2 e as suas duas torres, com 157 metros de altura cada uma, faziam dela o edifício mais alto do mundo quando finalmente acabou de ser construída, em 1880.

No entanto, o visitante apenas fica com a verdadeira noção do quão colossal é a catedral quando atravessa a nave e chega ao transepto. Aí, adquire uma visão panorâmica e consegue observar a plenitude da nave, com os seus 144 metros de comprimento, 45 de largura e uns incríveis 43,5 de altura. O edifício é composto por cinco naves e sete capelas, contem o maior coro do país e as suas torres são visíveis de qualquer ponto da plana cidade de Colónia.

No seu lugar já existia, desde o século VIII, uma catedral carolíngia, mas em nada comparável à estrutura actual. Foi em 1164, quando o imperador Frederico I Barba-Roxa, saqueador de Milão, trouxe para Colónia os restos mortais dos três Reis Magos e a cidade se tornou um dos pontos de peregrinação predilectos da Europa, que surgiu a necessidade de edificar uma catedral à medida da sua importância. A 15 de Agosto de 1248, tinham início os trabalhos.

História conturbada, (re)construção perpetuada

Estes foram, contudo, interrompidos em 1530 por força de três circunstâncias: falta de dinheiro, falta de vontade e falta de uma tendência artística que os apoiasse. É que o Renascimento estava a invadir a Alemanha e o estilo gótico não despertava nas pessoas o interesse de antigamente. A catedral permaneceu, pois, inacabada durante séculos, tendo servido, até à retoma da construção em 1842, diversos fins profanos. A título de exemplo, a casa de orações foi um depósito de armas para as tropas napoleónicas e toda a catedral foi, depois disso, um armazém.
A obra prosseguiu até ao ano de 1880, aliando os esboços góticos datados do século XIII às mais avançadas técnicas de construção, até ao resultado que hoje conhecemos. Ou quase. A catedral não escapou à destruição da Segunda Guerra Mundial, sendo atingido por 14 bombas aéreas que lhe causaram uma série de danos maiores. Praticamente 70 anos após o conflito, a reconstrução ainda não está terminada, mas tal parece apenas aumentar o fascínio dos visitantes e coadunar-se com a história do edifício, de construção eternamente incompleta.
Relicário dos Três Reis, executada por Nikolaus von Verdun

A maior atracção da Catedral de Colónia é, hoje em dia, uma extraordinária peça em ouro, prata e esmalte que se esconde por detrás do altar-mor: o Relicário dos Três Reis. No estilo românico, foi executada por Nikolaus von Verdun entre 1190 e 1220 e, por guardar as relíquias dos Reis Magos, santos padroeiros desta cidade renana, faz desde então disparar o significado religioso do imponente edifício.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...