sábado, dezembro 08, 2012

0

Glaciar Perito Moreno - América do Sul



Fotografia: Shutterstock
Considerado Património da Humanidade em 1981 pela UNESCO, Perito Moreno é um dos lugares mais fantásticos do planeta. O que torna este glaciar único e o que o distingue de tantos outros espalhados pelo mundo é a conjugação de factores como a beleza, a grandiosidade, a actividade constante e a acessibilidade.
Localizado na cidade de El Calafate, na Patagónia Argentina, Perito Moreno é um dos Glaciares do Parque Nacional “Los Glaciares”, pertencente à massa de gelo continental sul, uma das maiores reservas de água doce do planeta. Trata-se de uma “língua” de gelo que desce das altas montanhas e que no seu caminho escava um vale de 36 quilómetros de extensão.

Ao visitá-lo podemos observar a sua frente, o ponto onde a massa de gelo com mais de 80 metros de altura encontra um dos braços do lago Argentino. Através de passadiços de madeira, é possível chegar, com segurança, a poucas centenas de metros das suas majestosas paredes de tom azulado e escutar o seu rugido. Isso mesmo, o glaciar ruge!
Enquanto avança a uma velocidade de 2 metros/dia, os imensos blocos de gelo chocam entre sim, racham e provocam a erosão das pedras no solo, provocando barulhos monstruosos que nos dão a impressão de que o glaciar está vivo. E de certo modo está! Comparado a outros glaciares que estão em franco retrocesso, o Perito Moreno continua, para já, em equilíbrio, produzindo gelo na mesma proporção que o perde. Por isto, qualquer visitante poderá observar a queda de imensos blocos de gelo, que se desprendem das suas paredes e caem no lago argentino.
É um espectáculo único! Uma demonstração do poder e majestade da natureza.
Para quem visita o glaciar, o êxtase é ficar horas fio diante daquela massa gelada tentando descobrir onde cairá o próximo bloco. O enorme estrondo provocado pelo impacto do gelo com a água, em contraste com o silêncio que reina no local, faz o coração bater mais forte... Mas o gelo é perigoso e deve ser admirado a uma distância segura.
Até 1988 já tinham morrido 32 pessoas ali, vítimas de pedaços de gelo ou das ondas de quase 3 metros formadas pela queda. Hoje, os passadiços protegem os visitantes e delimitam o perímetro. Este espectáculo ocorre todos os dias, a qualquer hora e pode ser admirado tanto no verão como no inverno. Para quem visita o glaciar, sugerimos levar protecção para o frio e chuva pois a proximidade com a Cordilheira do Andes faz com que o tempo mude com frequência e só é possível desfrutar e absorver toda a magia do glaciar se estivermos quentes e abrigados.
Outra forma de conhecer o glaciar é realizando um passeio denominado de Mini-trekking. Trata-se de uma caminhada por cima do gelo usando calçado com pontas de ferro, chamadas “grampones” sobre o calçado. É lógico que este passeio ocorre numa zona do glaciar muito estável onde não há risco de desabamento. É uma aventura única caminhar sobre esta massa gelada. O trilho leva cerca de 2 horas e ocorre a um ritmo tranquilo, sempre na companhia dos guias. Durante o passeio podem observar-se pequenos riachos, belíssimas cavernas de gelo de cores variadas, fendas profundas e pequenas paredes geladas que podem ser escaladas. Para os mais aventureiros há uma versão deste passeio chamada de "Big Ice" que oferece uma caminhada de 6 horas até ao coração do glaciar.
Existem ocasiões em que o glaciar se supera. Quando a produção de gelo é maior do que a perda, o glaciar avança até tocar na terra e faz do lago que passa na sua frente, uma espécie de represa. Com o passar dos dias, a massa de gelo cresce e com ela o nível do lago bloqueado. É então que ocorre uma luta silenciosa entre o gelo e a água. Uma espécie de braço forte silencioso que pode durar meses. Quando a pressão da água consegue furar a resistência do gelo, ocorre um fenómeno conhecido como “rompimento do glaciar”. Primeiro, forma-se um pequeno túnel, onde a água jorra cada vez mais forte através do gelo. Com o atrito e desgaste provocados pela água, o túnel vai aumentando e é então que enormes blocos de gelo vão caindo. Tudo isto numa rápida sequência. Em determinado momento, forma-se uma gigantesca ponte de gelo que finalmente acaba por cair com enorme estrondo, atirando pedaços de gelo para todos os lados. É um privilégio (e muita sorte) ver um espectáculo de tamanha grandiosidade.
Seja qual for a forma que escolher para visitar Perito Moreno, uma coisa é garantida: ficará encantado diante de tanta beleza!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe aqui o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...