terça-feira, outubro 23, 2012

1

Postal de Viagem: Florença - Duas horas para embarcar!



#4# - Postal enviado pela viajante Maria Nogueira em 23/10/2012

Vista panorâmica de Florença, com a Ponte Vecchio ao fundo

Em 2010, tinha eu terminado um relacionamento e achava (na altura!) que tinha o monopólio do sofrimento do mundo e arredores (que nada!), recebi uma chamada no telemóvel por volta das 3 da tarde. Era a minha melhor amiga a dizer qualquer coisa do género: “Tens duas horas para fazeres uma mala e te pores no aeroporto. Eu e a F. compramos-te uma viagem na Pinto Lopes para Florença”.
Depois de uns breves minutos de pânico, saí do escritório e fui para casa fazer a mala, completamente incrédula. Lembro-me que enquanto conduzia, organizava mentalmente a mala e repetia: “Que grandes malucas, que grandes malucas…”; “Eu devo estar mesmo com má cara, para me marcarem uma viagem!”; “Eu vou sozinha para Florença?!”


Entrei no avião e, para não variar, adormeci mal apertei o cinto. Os aviões têm este efeito em mim… :-)
Aterrei em Pisa por volta das 2.00 da manhã e embora o plano inicial fosse alugar um carro no aeroporto e conduzir até Florença, dei graças a Deus por estar um autocarro mesmo à saída do aeroporto – Firenze! Uffa… Bora lá!
A F. andava a passear por Itália, a solo, e estava em Florença à minha espera. Quando cheguei ao hotel onde ela estava hospedada fui recebida por um Indiano completamente ensonado que me encaminhou ao quarto.

O Hotel
A única coisa que conseguia perceber era o “tic” (sim), por causa de uma novela indiana que dava na altura… (Sim!!! Eu leio muitos livros e vejo muitas novelas!!!!).
Adorei Florença! A cultura, as pessoas… absolutamente fantástico! Um autêntico tesouro renascentista, onde se encontra o maior acervo de arte desta época.
Grande parte deste património está exposto nas galerias Uffizi - o maior museu de Itália - e o restante disperso por entre as dezenas de igrejas e palacetes.


Mas basta deambular pelas suas estreitas ruas medievais, como nós fizemos para ir descobrindo as estátuas, as fontes e os edifícios.


Basta atravessar a Ponte Vecchio (séc. XIV), a única a sobreviver à II Guerra Mundial, ladeada por elegantes joalharias. Basta, do outro lado do rio Arno, contemplar um lugar talhado à medida do Renascimento para usufruir da beleza de uma das cidades mais equilibradas, harmoniosas e singulares que conhecemos. Basta ir inspirando a cidade…

Mas o momento alto da viagem foi quando fomos jantar a uma esplanada na Piazza del Duomo. A entrada principal da Catedral estava aberta. Já devia ser perto das 21:00 e ouvia-se uma música celestial e um imenso entra e sai de jovens.

Claro que entramos! E como católicas que somos, tanto eu como a F. ficamos de imediato comovidas com o que vimos.

Uma jovem a cantar à capela. A acústica do local, tornava a voz ainda mais celestial. O altar central iluminado por velas e com dois cestos, um de cada lado. Todos cumpriam uma espécie de ritual e nós, depois de uns momento a observar, repetimos.

À frente havia um tapete onde nos devíamos ajoelhar e rezar, ao mesmo tempo que inseriamos um papelinho com um pedido no cesto da direita e retiravamos à sorte um papelinho com um salmo no cesto do lado esquerdo.

Esse papelinho ainda hoje anda comigo na carteira… Nele pode-se ler: “Il mio Dio rischiara le mie tenebre”. (O meu Deus, iluminará as minhas trevas).
Talvez pelo momento que estava a passar, esta cerimónia, organizada pelo grupo Sentinelle del Mattino di Pasqua, foi o momento mágico que marcou esta minha inesperada viagem.

Mas, Florença... Recomendadíssima!

1 comentário:

  1. Florença é na realidade Fantástica!!! Eu tambem a visitei, com a Pinto Lopes, claro e Adorei. :-), Parabens M.Nogueira, as suas fotografias são lindas.
    Lurdes

    ResponderEliminar

Deixe aqui o seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...